Notícias

Estrada Real – A natureza é o destino – Balcao News – Notícias de BH

Mais do que um roteiro histórico, a Estrada Real se revela como um portal para um universo de belezas naturais exuberantes, convidando o turista a uma imersão profunda na rica biodiversidade brasileira.

Ao longo dos mais de 1.600 quilômetros que compõem os quatro Caminhos da Estrada Real, a natureza se apresenta como protagonista absoluta. Matas Atlânticas preservadas, cachoeiras cristalinas, serras majestosas e picos imponentes, compõem um cenário deslumbrante, convidando à contemplação e ao contato genuíno com a fauna e flora local.

Seja um caminhante experiente ou um aventureiro iniciante, a Estrada Real oferece trilhas com diferentes níveis e expectativas. Caminhadas leves por vales floridos, escaladas desafiadoras em paredões rochosos e travessias emocionantes por serras escarpadas são apenas algumas das opções.

Juquinha. Foto: portalserradocipo.com.br

Como a Estrada Real oferece uma grande variedade de belezas naturais, selecionamos algumas opções, por caminho, para os amantes da natureza.

No Caminho dos Diamantes, a Serra do Cipó predomina, compreendendo as cidades entre Conceição do Mato Dentro a Jaboticatubas. E quando se trata de belezas naturais o Parque Nacional da Serra do Cipó, denominado por Burle Marx "Jardim do Brasil", é o destino certo para os amantes do ar puro e de uma boa aventura.

Serra do Cipó. Foto: portalserradocipo.com.br

Nenhum atributo caracteriza melhor a Serra do Cipó do que a sua diversidade, que além de apresentar atrativos e passeios interessantes, faz jus ao título de jardim do Brasil, com um dos conjuntos naturais mais exuberantes do planeta.

As travessias são uma das mais claras vocações do Parque Nacional da Serra do Cipó, além das trilhas que levam a diversas cachoeiras da região, a exemplo a famosa cachoeira véu da noiva e também a cachoeira grande, com suas charmosas quedas d’águas. Ainda tem passeios de Montain Bike, quadriciclo, canoagem, escaladas e até saltos de paraquedas.

O rio cipó, divisor de águas das bacias hidrográficas dos rios Doce e São Francisco, é também divisor dos biomas cerrado e mata Atlântica.

Rio Cipó. Foto: portalserradocipo.com.br

Seguindo a Serra do Espinhaço, destacamos no Caminho Sabarabuçu a Serra do Caraça, localizada na cidade de Catas Altas. Uma área que reúne algumas das mais belas paisagens da região, com picos, cachoeiras, grutas e uma rica fauna. Lugar ideal para fazer trilhas, conhecer a beleza da natureza e relaxar.

Com paisagens de tirar o fôlego em uma área de transição entre a Mata Atlântica e o Cerrado, a Serra do Caraça reúne diversas atrações para quem gosta de fazer ecoturismo. Suas trilhas, picos, mirantes e cachoeiras chamam a atenção, mas é pertencente a fauna, a atração mais famosa do Santuário do Caraça.

Serra do Caraça. Foto: Thamiris Lage/viajali.com.br

Na área, além de quatis e raposas, é possível encontrar o lobo-guará, e muitas vezes de pertinho.
A tradição de alimentar o lobo-guará as noites no Santuário, começou em 1982, quando algumas lixeiras começaram a aparecer reviradas e derrubadas. Observaram e descobriram que era o lobo-guará que revirava as lixeiras do Santuário do Caraça.

Lobo Guará – Parque Caraça: Foto: Eduardo Franco.

Começaram então a colocar uma bandeja de carne em cada portão e foram aproximando as bandejas da escada da Igreja e por algum tempo os lobos foram alimentados lá embaixo. Até que resolveram subir com a bandeja. A bandeja subiu, o lobo subiu!

O momento de esperar a aparição do animal é conhecida como “a hora do lobo”, a partir das 18h30min. Enquanto o seu lobo não vem, o Caraça proporciona aos hóspedes o momento da informação, a educação ambiental.

Parque do Ibitipoca. Foto: parquedoibitipoca.com.br

No Caminho Novo, a região que abrange o Parque Estadual do Ibitipoca, em Lima Duarte e Santa Rita de Ibitipoca, desconhece crises estéticas, por onde quer que se vá há sempre uma bela paisagem para registrar, seja na câmera ou na lembrança. Um prato cheio para os aventureiros e praticantes do ecoturismo, com experiências radicais em torno dos atrativos naturais.

Ramificação da Serra da Mantiqueira, o Parque Estadual do Ibitipoca é uma área protegida, com 1.488 hectares, dividindo as águas dos rios Grande e Paraíba do Sul.

Parque Estadual do Ibitipoca – Janela do Céu. Foto: Marcos Lamas/wikimedia.

Os turistas encontram uma ampla área verde, pertencente ao Bioma Mata Atlântica. Entre as espécies comuns no local, destacam-se as charmosas bromélias e orquídeas, além de samambaias e os imponentes cactos.

E é um verdadeiro paraíso para aqueles que desejam avistar uma fauna abundante, composta por espécies que estão ameaçadas de extinção. Lá vivem a Onça Parda e o Sauá, o Macaco Barbado, o Quati, o Papagaio-do-peito roxo e o Andorinhão-de-coleira falha.

Saíra da Serra. Foto: parquedoibitipoca.com.br

As belezas naturais não terminam por aí. Ao caminhar pelos três roteiros de visitação do parque, os turistas têm acesso a diversos atrativos, como a Ponte de Pedra, a Janela do Céu, a Gruta dos Três Arcos, o Pico do Pião e o Pico da Lombada, e ainda mirantes, grutas, praias de águas doce, cachoeiras e piscinas naturais.

No Caminho Velho, as antigas passagens dos tropeiros que atravessavam a Serra da Bocaina, carregando o ouro das minas gerais, podem ser refeitos pelas inúmeras trilhas que perpassam a Bocaina, mas, o ouro hoje é a biodiversidade, a paz, a beleza e a conexão total com a natureza.

Cachoeira do Veado. Foto: Bruno Martins/via flickr.

Com quase 106 mil hectares, o Parque Nacional da Serra da Bocaina é uma das maiores áreas protegidas da Mata Atlântica. Localizada na divisa entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Bocaina é a casa da água, água cristalina vertendo da serra em quedas poderosas, e é santuário das nascentes dos rios Paraitinga a formar o Paraíba, do Bracuí, Mambucaba,Perequê e tantos outros rios e riachos que alcança o mar.

Por se estender desde altitudes superiores a 2.000m, na região serrana de Cunha, até o nível do mar, em Paraty, a Serra da Bocaina apresenta paisagens diversificadas e grande riqueza de fauna e flora, incluindo espécies endêmicas e ameaçadas de extinção.

Pedra da Macela. Foto: Kisa Soares/via viajali.com.br

Dentre seus principais atrativos destacam-se o Caminho de Mambucaba (mais conhecido como Trilha do Ouro), as cachoeiras de Santo Isidro, das Posses e do Veado, a Pedra do Frade e Pedra da Macela.

A Estrada Real é um convite irresistível para os amantes da natureza, e oferece um paraíso de aventuras.

Estrada Real: VIVA, EXPERIMENTE, DESCUBRA!

DANIEL MAGALHÃES JUNQUEIRA

Instagram: @intitutoestradareal

118

Leia mais:



Fonte: Balcão News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *