Notícias

Cansei do C! – balcaonews

Cansei do C!

Começo contando com calma, criteriosamente, como condenaram-me com cirúrgico capricho.

Começaram com colocações cordiais, confortáveis. Conduziram comigo conversas centradas, cobertas,
contendo cenas casuais, comuns. Continuaram caminho colhendo cacos contrários, criminosos, cruéis, comentários contundentes, categóricos, contudo, comprovadamente cínicos, consequentemente críveis.

Consideraram-me culpado. Com certa cautela, criminoso, colocaram culpas clandestinas nas costas.

Criada consciência criminosa, cenográfica, com contraditório conciso, curto e cômico, condenaram-me com convicção, coisa censurada, capaz de chancelar conclusão condenatória. Covardia.

Combinaram cortar convivência, cessar conversas comigo. Como coerente consequência, compreensível, claro, chegaram cortar celebrações, comemorações, cantorias.
Como coisa comum, ceifaram comunicação corrente, casual, comezinha.

Cético, consternei-me com corte causal, ciumento, covarde, cem por cento cínico, criminoso, certeiro. Cá comigo, calado, considerei censurável continuar convivendo.

Carregando caprichosa cega compaixão, combalido, com coração cerrado, consegui contornar condição.
Cansado, comecei cismar.

Cotidianamente confrontei cúmplices, coadjuvantes,. Convenci-me comparar crime com comparsas covardes e canalhas.

Como consertar companhia?
Como conviver com códigos confiáveis, como conseguir? Como continuar?
Cena complexa, cenário complicado.

Cansado, currado e curvado custei crer. Convenhamos, caminhei cada canto. Cheguei chorar. Chorei choro contido, comovido.

Consciente do cansaço (e do choro) capitulei, corrigi-me. Curioso, crédulo como criança, calado, caí como Chaplin cairia.

Caí cara, como cai chuva, candidamente.

Cônscio, continuei cauteloso, calado, caindo, chorando, cabisbaixo, chateado, carente.

Convicto como Capitu, considerei certas coisas, consequentemente, cedi.

Conferi com certeza, como continuar censurado, como caminhar conservando calado coração cortado.

Com calma, cuidado, consideração, captei como corrigir cenário, como consertar certa conexão. Cheguei curtir.
Conseguiria? Claro.

Contudo, comecei crer e compreendi que conviver consiste cumplicidade, carece caprichar, cuidar, confiar, conversar. Convém companheirar, conviver com consideração, corresponder. Cercado, consolei-me com certíssima conclusão:

Chega camaleoa,
chega colombina caricata, carnavalesca, cruz credo, cabô convivência, claro!

Chega, cansei do C!

                                                 João Café

Instagram: @joãocafe_poetadeocasiao

Leia mais:



Fonte: Balcão News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *