Notícias

Tragédia no Sul foi tema na Almg

Ajuda humanitária foi elogiada.

Os discursos dos deputados durante a Reunião Ordinária de Plenário realizada, ontem, quarta-feira na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG)  tiveram como foco a tragédia das chuvas no Rio Grande do Sul.

Segundo o último balanço da Defesa Civil daquele Estado, as enchentes já deixaram 149 pessoas mortas, 108 desaparecidas e mais de 600 mil desabrigadas ou desalojadas.

O deputado Cristiano Silveira (PT) destacou as iniciativas do governo federal para ajudar a população gaúcha. Segundo o parlamentar, já foram garantidos R$ 6,7 bilhões em recursos federais para fazer frente aos danos provocados pelas chuvas. Além disso, o governo federal propôs o pagamento de um auxílio de R$ 5 mil às famílias que perderam suas casas com as cheias.

Ainda de acordo com o parlamentar, 27 mil servidores públicos federais, que incluem policiais federais, militares do Exército e integrantes da Guarda Nacional, foram mobilizados no socorro ao Rio Grande do Sul. Também foi anunciada a suspensão do pagamento da dívida do Estado com a União, para que os recursos sejam destinados à reconstrução da infraestrutura destruída pelos temporais. “Não está faltando apoio ao povo do Rio Grande do Sul”, afirmou.

O deputado Leleco Pimentel (PT) também elogiou o governo federal pela iniciativa de importação de arroz. O objetivo é compensar as perdas provocadas pelas chuvas no Rio Grande do Sul, responsável por grande parte da produção nacional do cereal.

Segundo o parlamentar, serão importadas 104 mil toneladas de arroz, para serem comercializados por pequenos varejistas com rótulo do governo federal e preço tabelado a R$ 4 por quilo. Com esse subsídio, o preço do pacote de 5 kg de arroz será limitado a R$ 20, conforme lembrou Leleco Pimentel.

Já o deputado Caporezzo (PL) criticou o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, por uma declaração dele em entrevista concedida na última terça-feira. Ele disse que a retomada do comércio gaúcho fica prejudicada devido ao grande volume de doações físicas que chegam de todo o País.

Após a repercussão negativa de sua fala, o governador pediu desculpas nas redes sociais.

Para o parlamentar, o governador está sendo ingrato com a ajuda que chega ao Rio Grande do Sul, vinda de todas as partes do Brasil. “Que papelão! Ele desmerece as pessoas que perderam tudo com a enchente. Mas a solidariedade do povo brasileiro não vai mudar”, afirmou.

A deputada Macaé Evaristo (PT) também lamentou a declaração do governador gaúcho. “É claro que nos preocupamos com os pequenos comerciantes. Mas, antes de tudo, nos preocupamos em garantir a vida das pessoas”, disse.

Já o deputado Bruno Engler (PL) criticou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva por, segundo ele, ter recusado a ajuda de outros países para socorrer o Rio Grande do Sul. Ele disse que o ex-presidente Jair Bolsonaro nunca rejeitou auxílio externo em momentos de dificuldade do País. “Não à toa, Bolsonaro é o ex-presidente mais amado do Brasil”, finalizou.

Por sua vez, o deputado Ricardo Campos (PT) foi à tribuna para elogiar o anúncio de investimentos federais na revitalização do Rio São Francisco.

Segundo ele, a Codevasf vai destinar R$ 70 milhões à recuperação da nascente do rio. Por outro lado, ele lamentou a falta de iniciativas estaduais do mesmo tipo.

Leia mais:

Fonte: Balcão News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *