Testamos o Hyundai HB20 1.0 TGDI 12V Flex Diamond Plus

Testamos o Hyundai HB20 1.0 TGDI 12V Flex Diamond Plus

   - Versão Diamond Plus é a “top” do Hyundai HB20 1.0 TGDI, que melhorou a relação custo/benefício de toda a linha para voltar à briga pela liderança do ranking de vendas

   Naquele distante setembro de 2019, o mercado automotivo brasileiro vivia um animador clima de retomada do crescimento, depois de cinco anos de retração ou estagnação. E as expectativas em torno do lançamento nacional do novo HB20, que completava sete anos de existência, eram grandes. Vice-campeão do ranking brasileiro de vendas em 2016, 2017 e 2018, embora a plataforma tenha sido mantida, o hatch compacto da Hyundai foi profundamente atualizado dentro do novo estilo de design da marca sul-coreana. O aspecto visual mais impactante é a grade trapezoidal “cascading”, misturando linhas retas e curvas – e que tornou-se a parte mais questionada na nova linha HB20. Um ano e uma pandemia depois, as vendas de automóveis despencaram e as expectativas do setor automotivo nacional não são otimistas, mas o modelo da Hyundai está de volta às primeiras posições do ranking.

   Este ano, com mais de 49 mil unidades comercializadas nos oito primeiros meses, já retomou a vice-liderança perdida em 2019 para o Ford Ka – está atrás apenas do Chevrolet Onix, que vendeu pouco mais de 80 mil unidades no mesmo período. Em agosto, o HB20 ultrapassou pela primeira vez em 2020 a média de 8.466 unidades mensais emplacadas durante o ano passado. Para embalar as vendas, um discreto ajuste visual foi feito a partir de junho deste ano nas linhas 2021 das versões mais básicas, com motores aspirados 1.0 e 1.6. Nelas, a polêmica grade ganhou um acabamento com contornos em preto, o que reduziu o impacto visual da peça originalmente cromada. Já nas versões “top” Diamond e Diamond Plus, com motor 1.0 turbo, a linha 2021 ainda não foi apresentada e a mudança na cor da moldura da grade não está confirmada. De qualquer forma, um dos maiores atrativos do HB20 continua sendo o bom nível de equipamentos – ostentado especialmente na versão topo de linha, a 1.0 TGDI 12V Flex Diamond Plus.
   Além da controversa grade, ladeada por amplos faróis com “light guide” em leds, a recente linha de design da Hyundai, denominada como “Sensuous Sportiness” ou “Esportividade Sensual”, se expressa no HB20 por meio de linhas fortes, com frisos pronunciados e volumes marcantes. A frente é baixa e bastante aerodinâmica. No teto, o estilo “flutuante” é ressaltado pelo detalhe em preto na coluna “C” (a traseira), que visualmente reforça a esportividade. As lanternas com design de bumerangue também evocam dinamismo. Por dentro, o hatch segue a mesma lógica de investir em um aspecto esportivo.
    As versões mais completas, Diamond e Diamond Plus, são as que mais bem representam a proposta de “recheio caprichado” da linha HB20. Vêm de série com ar-condicionado digital, chave presencial Smart Key, piloto automático e limitador de velocidade, partida do motor por botão, troca de marchas por alavancas no volante (Smart Shift) e sistema Stop & Go de parada e partida automática do motor. A versão de topo Diamond Plus incorpora sistemas de alerta e frenagem autônoma – que podem parar o carro sozinho quando há impacto frontal iminente, em velocidades abaixo dos 50 km/h – e alerta de mudança de faixa. Completam a lista do HB20 mais equipado os controles de tração e estabilidade (ESP e TCS), o assistente de partida em rampa (HAC), a verificação de pressão de pneus (TPMS) e a câmera de ré com monitoramento da traseira (DRVM). Como toda a linha HB20, a Diamond Plus conta com cinto de segurança de três pontos para todos os ocupantes, encosto de cabeça no banco traseiro, fixação Isofix e dois airbags frontais e dois laterais. O sistema BlueMedia tem visual flutuante e tela de 8 polegadas.
    Em termos de motorização, o Hyundai HB20 1.0 TGDI 12VFlex Diamond Plus traz o três cilindros 1.0l Turbo GDI, que entrega 120 cavalos de potência a 6 mil rpm. Com injeção direta de combustível e duplo comando variável de admissão e escape (Dual CVVT), trabalha em conjunto com o câmbio automático de 6 velocidades. Seu torque máximo de 17,5 kgfm está disponível a partir de apenas 1.500 rpm. De acordo com o Inmetro, o consumo do HB20 com o motor 1.0 TGDI e o recurso start-stop – disponível somente nas versões Diamond e Diamond Plus – é de 12,2 km/l na cidade e de 13,9 km/l na estrada, quando abastecido com gasolina, e de 8,6 km/l na cidade e de 10,3 km/l na estrada com etanol. Recebeu nota “B” no Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE), tanto na comparação relativa na categoria quanto na absoluta geral.
    No site da Hyundai, até o início de setembro, o HB20 Diamond Plus parte de R$77.990,00 nas cores Branco Atlas e Preto Onix. Todas as outras opções de cores – como a Prata Brisk do modelo testado – aumentam o preço em R$950,00. Ou seja, o valor pedido pelo modelo se mantém exatamente o mesmo oferecido na época do lançamento do novo HB20, há quase um ano. Nesse período, os principais concorrentes tiveram elevações de preços que superam os 15 por cento, atribuídas pelas fabricantes ao impacto da alta cotação do dólar sobre os componentes importados. Assim, o simples fato de ter mantido os preços de tabela do ano passado tornou o HB20 bem mais competitivo. Uma estratégia comercial que ajuda a explicar por que o hatch da Hyundai ultrapassou o patamar de vendas anterior à pandemia bem antes dos adversários que priorizaram recompor suas margens de lucros. Em termos de comparação, as vendas do Onix e do Ka em agosto ainda representam a metade da média mensal de emplacamentos de 2019.

   Experiência a bordoAmbiente contemporâneo

   O acabamento Marrom Desert da versão Diamond Plus do HB20 é um dos destaques de estilo desta geração. Vários tons de castanho e ocre aparecem no painel, no console, nos painéis das portas e nos bancos de couro e no volante, esse também revestido em couro. Detalhes na cor azul vivo surgem na faixa central do painel e nas costuras dos bancos, no volante e na alavanca de câmbio. As maçanetas são cromadas. Todo o interior segue um design com linhas “limpas” e de aspecto esportivo. O espaço da cabine cresceu sutilmente em relação ao modelo anterior, com um centímetro a mais de largura na altura dos ombros e, no banco de trás, acréscimo de 4,7 centímetros na distância livre em relação aos dianteiros.
   Entre os confortos oferecidos na configuração mais cara do HB20 estão a chave presencial Smart Key com telecomando de travamento das portas e do compartimento de carga, a partida do motor por botão, a direção elétrica, o banco do motorista com ajuste de altura por alavanca, os vidros elétricos dianteiros e traseiros com funções “one touch” (descida e subida) e antiesmagamento, o console central com porta-copos e porta-objetos, a bolsa porta-revista no encosto do banco do passageiro, os espelhos cortesia nos para-sóis e a iluminação no porta-luvas. Com seu visual flutuante e tela de 8 polegadas, o sistema de entretenimento BlueMedia conecta com diversas funções do celular por meio do Apple CarPlay e do Android Auto, com operação intuitiva.

   Impressões ao dirigir - Lógica esperta

   A versão “top” Diamond Plus do HB20 exibe uma performance dinâmica bastante convincente, proporcionada pelo “powertrain” bem entrosado composto pelo motor 1.0 Turbo GDI e o câmbio automático de 6 velocidades com borboletas no volante. Como o bom torque máximo de 17,7 kgfm está disponível praticamente em qualquer giro, o hatch acelera sempre com vontade. Os 120 cavalos de potência máxima também ajudam a conferir certa exuberância ao compacto da marca sul-coreana. As passagens de marchas do câmbio automático são precisas e permitem que o compacto ganhe velocidade rápida e progressivamente. E a possibilidade de mudar as marchas manualmente por meio de borboletas posicionadas atrás do volante facilita a tarefa de obter um comportamento mais esportivo do conjunto. Nas cidades, dentro de um padrão comportamental mais “civilizado”, o sistema Stop & Go de parada e partida automática do motor auxilia na economia de combustível no aborrecido “anda e para” do trânsito.
   A direção eletricamente assistida é outro destaque do HB20, é leve para as manobras de estacionamento e dura nas velocidades altas, exatamente como deve ser. Em termos de suspensão, o acerto é bastante preciso. O hatch faz curvas sem adernar excessivamente. Nas freadas bruscas, o modelo da Hyundai esbanja precisão e equilíbrio. Os sistemas de auxílio ao motorista são exclusivos da versão Diamond Plus. O de alerta e frenagem autônoma – capaz de, em caso de impacto iminente, parar o carro sozinho a até 50 km/h ou reduzir as consequências acima desse limite, mesmo se o motorista continuar acelerando –, se mostra bastante efetivo. Já o alerta de saída de faixa carece de aperfeiçoamentos – só consegue ler as faixas bem pintadas e emite o alerta sonoro e visual apenas quando o carro já invadiu a faixa ao lado.
   por Luiz Humberto Monteiro Pereira - AutoMotrix.